Alguns textos que, sob o estilo comédia Stand Up sarcástica, falam sobre pequenos fatos ou situações que passam despercebidas em nossas vidas e, muitas vezes, sequer questionamos o porquê das coisas serem assim.

2 de maio de 2008

CASAMENTO (A FESTA)

A cerimônia acabou e os noivos se dirigem ao salão de festas. Geralmente fica em um lugar que não conhecemos, por isso todos os carros vão enfileirados, pois estão todos perdidos. Interessante que poucos sabem o real motivo dos carros ficarem buzinando durante o caminho ao salão. As pessoas pensam que é uma saudação aos noivos, quando na verdade é uma maneira de dizer que eles vão pra festa comer e beber, enquanto o pessoal da rua não.
Nunca sei se devo jantar antes, ou se vou de barriga vazia pra comer tudo na festa. Sempre passo por este dilema. Algumas vezes servem um excelente jantar, outras vezes servem aqueles salgadinhos e lanchinhos minúsculos. É preciso ter sorte.
Outro dilema interessante é sobre o que conversar com aqueles parentes que não vemos nunca. Falta intimidade, falta assunto. Se você é homem, faça o possível pra guardar o assunto ‘futebol’ por último. A mulher, por sua vez, deve guardar os assuntos ‘vestidos’ e ‘fulano está diferente’.
Quando chega a hora da valsa, todos já estão um pouco cansados e com a barriga cheia. Eu também não entendo sobre este ritual da valsa. Ninguém ouve valsa em casa, ninguém sabe dançar valsa, ninguém tem CD de valsa no carro, mesmo assim sempre toca na festa. Por falar em sempre tocar, por que toda vez somos obrigados a dançar músicas como “Dancing Queen” ou “Twist and Shout”, além de outras? Aí nos dão óculos, colares havaianos e aquelas borrachas coloridas que brilham no escuro. Muda um pouco pô!
Nunca sei a hora de ir embora, mas tenho uma tese que a hora ideal é quando metade já se foi. Assim você não é nem o apressado, muito menos o mala que fica até o fim.

Um comentário:

Ricardo Vieira disse...

Como sou fã do ABBA, da Suécia e da Rainha Silvia posso dizer por que em todo casamento toca Dancing Queen: Porque foi no casamento da Rainha Silvia (que passou a infância no Brasil e estudou no Colégio Visconde de Porto Seguro) com o Rei Carlos XVI, em 1976, que a música Dancing Queen estreou. Desde então passou a ser um hit quase obrigatório nos casamentos.